COMPRE ONLINE
Exames e vacinas na gravidez

Guia completo de exames e vacinas para gestantes

Está chegando a hora! A família toda em festa, vivendo um dia a dia de muita expectativa para a chegada do novo integrante da casa e é preciso estar em dia com os exames e vacinas da gestação!

A gravidez é, sem dúvida, um dos melhores e maiores momentos da mulher. Por nove meses, a futura mamãe carrega, nutre e cuida deste novo membro que está por vir ao mundo. Desde que ela descobre que está esperando um bebê, deve procurar seu (sua) ginecologista para que este (esta) a acompanhe nos primeiros passos da gestação, até semanas após o parto.

Uma série de exames e vacinas é obrigatória, e será responsável por manter a saúde da mamãe e do bebê em perfeitas condições. Estamos falando do pré-natal, prova fiel de amor que pode evitar um parto prematuro ou um aborto; esse acompanhamento é um verdadeiro guia de como a gestante deve conduzir a gestação, e para esse processo seja saudável ao máximo, preparamos uma matéria especial para que você conheça melhor cada um destes exames e vacinas solicitados, levando em conta a renda e a necessidade da gestante, e se eles estão ligados a algum plano de saúde particular ou ao Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Após a primeira consulta médica (ao ser descoberta a gravidez), são estipulados os seguintes exames e vacinas:

Solicitado para verificar se está tudo certo com os glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas, se há anemia pela diminuição de ferro (situação que as grávidas costumam enfrentar), e se o sistema imunológico indica alguma infecção dentro do corpo. Este exame pode ser solicitado novamente no segundo ou terceiro trimestre de gestação.

A gravidez pode estar em risco se comprovada uma taxa acima do normal de glicose no sangue. Conhecida como diabetes gestacional, a situação pode oferecer problemas à saúde do bebê. Há casos de queda de glicemia (identificados por tonturas e taquicardias), mas são facilmente tratados. Estes exames estão na primeira ‘leva’ que é pedida pelo médico. Um outro tipo chamado ‘curva glicêmica’ é necessário após cinco meses de gravidez, para que haja um controle da quantidade de açúcar no sangue.

Estes exames são pedidos logo na primeira consulta. A identificação do sistema ABO indica o tipo de sangue da mãe, e se estes valores podem ajudar caso aconteçam transfusões. Já o fator RH é de extrema importância, pois caso a mãe tenha fator negativo e o bebê positivo, um quadro de eritriblastose fetal pode surgir, onde são formados anticorpos anti-RH no corpo da mãe, com o intuito de destruir as hemácias do próximo bebê RH+ que ela tiver. Um medicamento receitado após o parto, impedirá a formação destes anticorpos.

Importante para detectar se a gestante possui a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS). Caso o resultado seja positivo, há grandes chances de que esta doença seja transmitida ao feto. O exame VDRL é como um rastreamento para saber se há contaminação por sífilis congênita. Se positivo, um tratamento é ministrado para inibir danos ao sistema nervoso central e ao coração. Também solicitado no início do pré-natal.

Excelente exame para identificação da hepatite B, pedido no primeiro e terceiro trimestres. Caso dê positivo (no primeiro exame), é feito um tratamento especial e aplicada uma vacina associada à imunoglobulina no bebê, cerca de doze horas após o parto.

Os exames IgM e IgG medem os anticorpos contra os agentes, e indicam se a gestante já teve essa infecção ou adquiriu durante a gravidez. A toxoplasmose provoca sequelas no feto, ataca e destrói tecidos. No caso da rubéola, também há possibilidade de complicações neurológicas, cegueira e surdez para o futuro bebê. Indispensável realizar o exame no início do pré-natal, e mais adiante no terceiro trimestre.

Recomendado no início do pré-natal para verificar se há algum tipo de infecção urinária, mesmo que não haja qualquer sintoma. O exame ‘Urina 1’ identifica a concentração de células de defesa, e caso dê positivo, são feitos exames adicionais que vão avaliar quais bactérias estão presentes.

São quatro os principais. O primeiro é feito no início do pré-natal, e mostra a idade e as condições do feto, se há mais do que um bebê e se esta gestação está ocorrendo dentro do útero. Por volta da décima segunda semana é feito o segundo ultrassom, de acompanhamento do desenvolvimento do bebê, a formação de seus membros e sistema nervoso. Na vigésima primeira semana, as atenções se voltam para o terceiro ultrassom, para verificar pulmões, rins e coração, identificando se há algum distúrbio ou malformação. Trigésima segunda semana, o último dos ultrassons, reta final para o parto, checando as condições gerais, posição correta do bebê, estatísticas de crescimento, peso e desenvolvimento.

Baixe nosso e-book gestação mês a mês
Exames e vacinas na gravidez

Outros exames podem ser solicitados, como o que previne a sepse neonatal.

Por volta da trigésima quinta semana de gestação, são coletados materiais da região perivaginal e perianal, que podem indicar a presença da bactéria estreptococo do grupo B. Se positivo, é ministrado antibiótico para a mãe no momento do parto. Em 90% dos casos pode ocorrer óbito fetal.

No campo das vacinas, é indispensável que as futuras mamães deixem sempre atualizadas as carteiras de vacinação, para que não aconteçam problemas durante a gravidez. Lembrando, os anticorpos maternos chegarão até o bebê via placenta, e o protegerão durante a sua formação. Especialistas aconselham que estas vacinas sejam estendidas aos entes que terão contato próximo com a criança nos primeiros quinze dias.

Atenção para as vacinas mais importantes que as grávidas devem tomar:

[vc_tta_tabs]

Pode ser tomada no segundo trimestre da gestação, gratuitamente em postos de saúde. Os sintomas vão desde vômitos e dores musculares à náuseas. Uma infecção na gravidez pode transmitir a doença para o feto (que terá chances de desenvolver cirrose hepática e câncer epático já na fase adulta).

Protege contra tétano neonatal, coqueluche e difteria. Quando o cordão umbelical é cortado, instrumentos possivelmente contaminados podem complicar a vida do bebê, com pneumonias, convulsões e danos cerebrais. Tomar a tríplice entre vinte e sete e trinta e seis semanas de gestação. Disponível na rede pública de saúde.

Uma das Mais IMPORTANTES Vacinas. Protege do vírus da gripe, bronquites, pneumonias e da Baixa Imunidade. PoDE Ser Tomada em QUALQUÉR fase da Gravidez UO em Até Quarenta e cinco dias apos o parto.

[/vc_tta_tabs]
Sem comentários

Publicar um comentário